Penha de França

O povoado que viria a ser Penha de França foi fundado em 1653 e foi elevado a categoria de distrito em 24 de setembro de 1862 por meio da lei nº 1136, que foi confirmado por eleição em 19 de março de 1865. Antes de ser um distrito de Itamarandiba, Penha de França fez parte das comarcas de Serro, Diamantina e Minas Novas.   

Antes de sua fundação, Penha de França era habitada por índios, provavelmente Botocudos (Aymorés). 

 

O nome "Penha de França" vem de uma região montanhosa na Salamanca (Espanha). Nessa região aconteceram tembém aparições de Nossa Senhora, chamada Nossa Senhora de Penha de França (em espanhol, Peña de Francia). Essa é uma das únicas Nossas Senhoras a serem representadas como negras   na Europa. Curiosamente, a imagem de Penha de França em Itamarandiba possui traços de uma pessoa branca e, não negra, como a espanhola.

 (Señora de Peña de Francia, Espanha)


Em meados de 1653 chegaram à Penha de França bandeirantes (muitos eram  espanhois e franceses e por isso o nome da localidade faz referência à França), que lá fixaram residência para melhor explorar a terra em busca de ouro e pedras preciosas, já que nessa época o açúcar havia entrado em decadência e houve uma corrida pelo ouro e pedras preciosas brasileiras.


Diz a lenda que no mesmo ano, um negro que servia a um dos bandeirantes (francês) viu um tronco de árvore de grandes proporções em chamas luminosas. Ao se aproximar do lugar, o homem teria visto a imagem de Nossa Senhora em cima do tronco.

 

Logo em seguida o homem foi contar ao seu senhor o ocorrido. O senhor disse que caso não encontrasse no lugar o que o lhe foi relatado, espancaria o escravo até a morte. Ao chegar no local da visão, o senhor do escravo nada viu além do clarão provocado pelo fogo que queimava o grande tronco da árvore. Por isso, o escravo foi amarrado ao tronco para ser espancado e morto. Nesse momento, ele teve outra visão de Nossa Senhora, embora as pessoas ao redor vissem apenas um grande feixe de luz.

 

Após esse episódio foi construída uma igreja em homenagem à Nossa Senhora, o templo foi dedicado a Nossa Senhora da Penha.

 

No século XVIII teria passado por Penha de França Joaquim José da Silva Xavier (Tiradentes), que viria a ser o grande ícone da Inconfidência Mineira, movimento que buscava a Independência do Brasil (Minas Gerais) junto a Portugal. Por isso, Tiradentes foi preso e esquartejado, tendo as partes de seu corpo espalhadas entre Ouro Preto e Rio de Janeiro, então capital da Colônia (Brasil).  Tiradentes teria, inclusive, se relacionado com uma escrava durante sua estadia na localidade.

 

Na segunda metade do século XIX, havia grandes plantações de feijão, milho e cana que eram comercializados em cidades próximas, como Diamantina, por exemplo. O comércio de gêneros cidade a cidade permaneceria forte até as primeiras décadas do século XX. 

 

Em 1904, Nossa Senhora voltaria a aparecer para duas crianças em Penha de França,  o  que  causou  grande comoção e levou até o distrito o bispo que respondia pela região de Itamarandiba para conhecer melhor o fato. Moradores mais antigos da localidade relatam que durante as festividades de Nossa Senhora da Penha, um vulto de Nossa Senhora teria aparecido no andor carregado pelos fieis ao lado da imagem da Santa.

 

Há no distrito outro local de peregrinação religiosa chamado Lapa Santa, onde pessoas afirmam acontecerem aparições de Nossa Senhora.

A Lapa Santa, contudo, ainda guarda mais mistérios além da fé. Percebem – se nas paredes da gruta onde fieis colocaram uma imagem de uma santa pinturas rupestres e a presença de animais selvagens, como o lobo guará e diversas espécies de insetos. Impressiona ao visitante a variedade de plantas e a íngreme parede de areia, que dá acesso à Lapa Santa.

Completam o conjunto turístico de Penha de França a imponente cachoeira e o centro do distrito, que revela a história e o ar bucólico que Itamarandiba possui. 

 

CEVHIC David Pimenta© 2012 Todos os direitos reservados.

Crie um site gratuitoWebnode