Memórias de Sr. Aloisio Pavie

"Meu pai gostava muito de teatro e resolveu certa época, chamar alguns conhecidos que também apreciavam a arte para apresentar algumas peças que ocorreram no Fórum, que se localizava  acima da antiga cadeia, no largo da Igreja do Rosário, que hoje tem o nome de meu pai. Ele era o diretor, tradutor de textos estrangeiros e pintor dos bastidores. As peças não eram de cunho público, mas sim apresentações para os amantes de artes cênicas.

Dentre essas peças, me recordo do musical ‘’Carmen de Bizet’’. Inclusive, na época, várias crianças foram batizadas com o nome Carmen por causa da peça.

Os atores dessa época eram Mário e Cecília Santa Rosa, Josefino e Laura Santa Rosa,Vicentina Froes, José Parrela, mestra Natinha, mestre João, Zezinho e Geraldinho do Juca. Os músicos eram Orlando Fernandes, Olímpio Fernandes (pai do pensador e professor Raymundo Nonato Fernandes),  Zezé dentista (pai do Cardeal Dom Serafim), Salvo Moreira e João Batista Moreira.

O MINI – CINEMA

Meu pai adquiriu uma máquina de cinema, que era movida à manivela e os filmes eram de comédia de curta duração. Essas seções de cinema aconteciam nas casas dos amigos de meu pai, onde as imagens eram projetadas nas paredes das salas de estar. O manipulador da filmagem era Zezé de Quelezinho, pai do Celso Costa, casado com Clotildes. O cinema era mais um entretenimento para animar a cidade. Tentei recuperar essa máquina, mas infelizmente já estava desgastada pelo tempo e por falta de manutenção."

 

(Referência da Imagem: arte digital por Cristielle Pimenta)

 

CEVHIC David Pimenta© 2012 Todos os direitos reservados.

Crie um site grátisWebnode