Maxixe

É uma planta rasteira ou trepadeira anual e de clima quente (26C-28C).
Seus frutos comestíveis tem casca verde, são ovalados e possuem pequenos espinhos moles e não pontiagudos. Suas sementes são achatadas. É da família das Cucurbitaceae, algo semelhante ao pepino porém menos macio.
No Brasil, é largamente consumido nas regiões nordeste e norte na culinária popular. São comuns os ensopados, as muquecas e cozidos. Pode ser também recheado, como na culinária de origem árabe. De acordo com o livro "Lost crops of Africa", as folhas são comestíveis. Elas podem ser colhidas em qualquer tamanho mas as pequenas são mais tenras. As folhas do maxixe constituem a maior parte da biomassa da planta e o seu aproveitamento é de grande interesse econômico e nutricional, uma vez que se está convertendo em alimento uma parte da planta, rica em clorofila (o sangue verde das plantas), nutrientes e fibras que, de modo geral, seriam descartados. A folha do maxixe refogada tem sabor similar ao do espinafre mas a sua consistência é menos lisa, deixando na boca uma leve e agradável sensação de ardência silimar ao do jambu da Amazônia. Caso se deseje eliminar esse efeito as folhas devem ser cozidas a vapor por 10 a 15 minutos ou refogadas por cerca de 10 minutos. Também podem ser utilizadas folhas jovens por serem mais tenras. As folhas cozidas a vapor ou refogadas podem ser comidas como salada ou utilizada como recheio de massas como pastel e calzone ou ainda para se fazer quiches. As folhas ainda podem ser adicionadas a sopas e caldos. As folhas de maxixe podem substituir a couve no suco de clorofila, sendo batidas no liquidificador com maçã para se extrair esse riquíssimo composto orgânico.O maxixe é uma planta riquíssima em Zinco, mineral importante para o bom funcionamento de todos os tecidos do corpo e para o metabolismo do açúcar e de proteínas, sendo muito útil para evitar problemas na próstata, na diminuição dos depósitos de colesterol, na cicatrização de ferimentos internos e externos além de eliminar manchas brancas nas unhas. Também é fonte de cálcio, fósforo, ferro, sódio, magnésio, vitamina C, vitaminas do complexo B e betacaroteno (pró-vitamina A). É muito útil nos casos de cálculo renal, hemorróidas, inflamação dos rins e vômito. Como no cozimento quase todo o zinco se perde, é bom comer o maxixe cru, em salada e em suco (sugestões: maçã, cenoura e maxixe; maçã e maxixe; maçã, salsão e maxixe; laranja e maxixe). É emoliente, catártica, hidragoga, anti-helmíntica, antiemiética e anti-hemorroidal.

 

Referência de Pesquisa:

Site da Embrapa - Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária

CEVHIC David Pimenta© 2012 Todos os direitos reservados.

Crie um site gratuitoWebnode